15 de dezembro de 2008

12 de dezembro de 2008

Paris Illumine Paris

Muita gente acredita que a iluminação de Natal de Paris se limita apenas à avenida Champs-Elysées e às vitrines dos grandes magazines. Nada disso. Ao todo, a cidade conta com 125 ruas, além de diversas praças e avenidas que recebem animações lúdicas e as luminosas decorações de Natal.

Para iluminar o Natal da Cidade-Luz este ano a prefeitura de Paris adotou, em parceria com os comerciantes da cidade, o conceito Paris Ilumina Paris - que consiste em desenvolver em cada quartier um universo natalino bem específico - e essa operação foi um verdadeiro sucesso. Assim, até o final de janeiro, uma floresta de luzes veste as ruas do quartier Montorgueil, flocos cintilantes caem sobre a rue des Francs-Bourgeois, enquanto estrelas deslizam ao longo da rue Mogador e bombons luminosos chovem sobre a rue des Vinaigriers.

Place du Général Beuret

Este ano os LED de baixo consumo são as grandes vedetes da iluminação de Natal em Paris. Esses pequenos diodos eletrônicos substituíram as lâmpadas tradicionais em cumprimento às diretrizes francesas de desenvolvimento sustentável. Segundo o prefeito da cidade, Bertrand Delanoë, a adoção dessa tecnologia na decoração da cidade é vista como um bom investimento, tanto em práticas de respeito ao meio ambiente quanto em economia para o cofre público. O LED tem uma duração de vida 10 vezes maior para um consumo 5 vezes menor se comparado à lâmpada incandescente clássica, oferecendo uma luminosidade equivalente. Para se ter uma idéia da economia, a iluminação de toda a Champs-Elysées equivale em consumo de energia ao que gastam alguns apartamentos residenciais da cidade.

Rue du Commerce

Mas voltando às ruas enfeitadas: para que você conheça melhor o bonito trabalho de iluminação natalina de Paris, a prefeitura e as associações comerciais da cidade montaram o site do programa Paris Illumine Paris. Nele você pode descobrir todos os pontos da cidade que estão decorados para o Natal - seja para programar um roteiro e ver de perto a cidade enfeitada, ou mesmo para fazer um tour virtual.

Rue Caumartin

Do lado direito da tela de abertura do site existe um mapa de Paris. Clicando nele aparecerá a relação dos pontos decorados da cidade organizados por arrondissement. Ao clicar em um dos nomes da lista, o mapa vai se aproximar da região selecionada. Então, clique nas bolinhas numeradas do mapa e, em seguida, em lire la suite para ver a foto. Ao abrir a foto aparecerá também a indicação de qual estação do metrô você deve usar para chegar até o local.

Place Felix Eboué

E estando em Paris você também pode fotografar a decoração de Natal da cidade e enviar suas fotos para a galeria do site.

Acesse: http://www.parisillumineparis.fr/

Showcase Thomas Dutronc

Uma das inúmeras coisas bacanas de Paris é que sempre temos a apresentação de boa música de graça acontecendo em algum lugar da cidade. Na próxima terça-feira (16 de dezembro) às 21h00 é o guitarrista de jazz Thomas Dutronc quem se apresenta em um showcase gratuito no Studio SFR. Para assistir ao vivo você deve retirar gratuitamente seu ingresso no local até o dia 15, entre as 8h30 e 20h00.

O que é Joãozinho? Você até queria ir, mas mora em Mossoró? Chicago? Cascais? Não tem problema! O showcase de Thomas Dutronc será transmitido ao vivo para os clientes SFR munidos de telefone com cobertura 3G (apenas para a França) ou para todo e qualquer internauta do planeta através do site http://www.live.sfr.fr/ - antes porém, é necessário que você se cadastre no site.

Para os que ainda não o conhecem, uma curiosidade: o parisiense Thomas Dutronc é filho da cantora Françoise Hardy e do cantor e ator de cinema Jacques Dutronc.

Para ir curtindo até o dia do showcase, segue o vídeo de Jeune je ne savais rien de Thomas Dutronc.

video

Tel.: 01 4312 7500
Metrô: Madeleine linhas 8, 12 e 14

Para saber mais acesse o Site Oficial de Thomas Dutronc.
Para ouvir: Deezer Thomas Dutronc

Picasso et les Maîtres

Uma das grandes exposições em cartaz em Paris é Picasso et les Maîtres (Picasso e os Mestres) no Grand Palais. A exposição traça um paralelo entre as obras de Pablo Picasso e dos grandes mestres da pintura - que durante muito tempo serviram como fonte de inspiração para a construção de seu estilo próprio.

Desde criança Picasso se inspirava nas obras de Vélasquez, copiando-o sob o olhar de seu pai - um professor de desenho que ele admirava acima de todas as coisas. E foi assim que, ainda menino, passou a desenhar e a pintar já como adulto. Dono de uma curiosidade insaciável, aos 12 anos Picasso buscava nas revistas de sua época fotos das obras de El Greco, Vélasquez, Ribera, Murillo e Morales. Apenas para colecionar? Nada disso. Com elas Picasso exercitava sua genialidade enquanto tentava reproduzir as fotos e compreender o estilo dos grandes mestres da pintura. E foi “devorando” pinturas que ele criou sua própria linguagem artística - tirando dos processos de admiração e assimilação o combustível para realizar a desestruturação de formas.

E não foi apenas reproduzindo fotos ou freqüentando museus que ele realizou sua própria revolução - em seus arquivos pessoais constavam centena de cartões postais com reproduções das obras dos mestres da pintura, de Vélasquez a Michelangelo. E é esse sentimento de “amor filial” de Picasso pelos seus mestres a espinha dorsal da exposição.

Matador Saluant, de Edouard Manet e El Matador, de Pablo Picasso

A exposição reúne aproximadamente 200 quadros e desenhos dos gigantes das artes. Ao redor das obras de Picasso, telas dos já mencionados mestres espanhóis e ainda de franceses como Ingres, Renoir ou Poussin, recriando o panteão artístico de Picasso e traçando um paralelo entre ele e os mestres que o inspiraram.

Aqui outro exemplo da releitura de Picasso das obras de seus mestres: à esquerda a Infante Marie Marguerite, de Diego Velàsquez e a direita a Infante Marguerite, de Pablo Picasso

Para as crianças de 8 a 11 anos, o Grand Palais preparou uma visita-atelier com duração de 2 horas, sendo 45 minutos de visita guiada pela exposição e 1 hora e 15 minutos de atividades práticas de pintura.

Você pode comprar seus ingressos na Fnac France clicando em exposição (13,50€) ou visita-atelier (10,50€). Por serem vendidos na forma de e-tickets, os ingressos para este evento podem ser impressos de qualquer lugar do mundo - o que te ajuda a ganhar tempo, já que não precisa encarar a fila da bilheteria no Grand Palais.

Galeries nationales du Grand Palais
Tel.: 01 4413 1717
Metrô: Champs-Elysées Clemenceau linhas 1 e 13 ou Franklin D. Roosevelt linhas 1 e 9

A exposição Picasso et les Maîtres fica em cartaz até 2 de fevereiro de 2009. A visita-atelier infantil vai até 24 de janeiro de 2009.
Abre diariamente das 10h00 as 22h00 (as quintas até as 20h00). Fecha às terças.

Foto menor: Pablo Picasso, Vallauris 1954, de Arnold Newman.

FNAC_famille.gif

Eglise Cathédrale Russe

11 de dezembro de 2008

A Rive Droite por Raphaël Haroche

Em uma matéria publicada na última sexta-feira no jornal francês Le Figaro o cantor Raphaël (que se apresenta amanhã em Bercy), falou sobre sua paixão pela Rive Droite, a famosa “margem direita”, que é toda aquela parte de Paris que vemos do lado de cima do rio Sena no mapa.

Quando não está viajando em tournée, Raphaël costuma transitar entre o seu escritório situado no 18º arrondissement e seu apartamento no 17º - onde está instalado seu estúdio. Autêntico parisiense e apaixonado pela cidade, o cantor já viveu em vários arrondissements de Paris, mas disse na reportagem do Le Figaro ter uma identificação maior com a Paris da margem direita, sobretudo pelas imediações da sua atual residência. Para Raphaël, “os limites do mundo” (Les limites du monde é o nome de uma das faixas de seu último álbum) situam-se em algum lugar entre a rue Abbesses e o mercado de pulgas de Clignancourt.

Nessa reportagem Raphaël dá algumas dicas interessantes sobre o que ver e fazer no 17º e 18º arrondissements - áreas que normalmente são pouco exploradas (no bom sentido, claro) por quem está na cidade a passeio.

Para ele o restaurante Kifune é o melhor endereço da cidade para se apreciar a cozinha japonesa (44 rue Saint-Ferdinand - Tel.: 01 4572 1119). Segundo ele, é ali que você vai encontrar a verdadeira culinária de Kioto em Paris.

Já um restaurante à moda antiga que ele recomenda, sobretudo para saborear pratos de inverno e que “tem uma iluminação que faz com que você não saiba se é noite ou dia” é o La Mascotte (52 rue des Abbesses - Tel.: 01 4606 2815).

Quer saber onde Raphaël faz as consultas literárias para suas composições ou participa de reuniões sobre as obras de Beckett, Apollinaire ou outros autores contemporâneos? Na livraria Abbesses (30 rue Yvonne-Le-Tac - Tel.: 01 4606 8430). E não é raro ele abordar algum freqüentador da livraria para saber “qual livro marcou sua vida” - portanto, ao entrar ali esteja preparado para responder a essa pergunta.

O cinema que ele recomenda na cidade é o Cinéma Studio 28 (10 rue Tholozé - Tel.: 08 9268 0743) - no qual ele começou a ir por comodidade devido à falta de tempo e acabou se tornando a sua sala de cinema preferida na cidade.

Para ele o restaurante que serve a melhor combinação carne e vinho do mundo é o Les Gourmets de Ternes. Segundo Raphaël o ambiente particularmente caloroso faz deste um dos melhores endereços de Paris para encontrar os amigos - como o cantor Jean-Louis Aubert, que é visto com freqüência com Raphaël no restaurante. Apesar da excelente comida, para Raphaël é o atendimento particularmente cordial o que mais se destaca no restaurante. Les Gourmets des Ternes (87 boulevard de Courcelles - Tel.: 01 4227 4304).

Quando tocou com Alain Bashung na sala Pleyel, Raphaël acabou descobrindo meio que sem querer uma igreja ortodoxa que fica logo ao lado. Faça como ele e entre nessa igreja em busca de serenidade - ou faça como eu, que vai lá só para ficar boquiaberto diante de tanta beleza. Eglise Cathédrale Russe (12 rue Daru - Tel.: 01 4227 3734).

Já para comprar de tudo - sobretudo antiguidades, o mercado de pulgas de Clignancourt é inigualável na opinião de ambos.

O álbum Caravane de Raphaël fez um enorme sucesso por aqui, vendendo quase 2 milhões de exemplares. Já seu último álbum Je sais que la Terre est plate é de uma riqueza musical que impressiona, tanto pelos arranjos musicais quanto pelas suas sublimes composições.

Para ver a matéria na integra no Le Figaro, clique aqui. Para não perder a viagem, veja o video de Sur la route, de Raphaël e Jean-Louis Aubert.


O blog do Raphaël faz parte da lista de favoritos do Viver Paris, e você pode acessá-lo sempre que quiser através do link localizado na seção Blogroll, à esquerda.

9 de dezembro de 2008

C'est parti! Agora sim temos neve!

Hoje as 12h35 começaram a cair os primeiros grandes flocos de neve sobre a cidade.

Tapenade

Quem já visitou a Provence ou mesmo já foi a um restaurante de cozinha provençal em Paris deve ter provado a tapenade. Seja para acompanhar pratos (sobretudo aves), para ser degustada sobre uma fatia de pão (minha aplicação favorita da tapenade) ou até mesmo para ser usada como condimento, essa saborosa e polivalente pasta a base de azeitonas e anchovas é uma receita típica das cozinhas de Provence e da cidade de Nice.

Mas uma informação que vai te interessar de verdade é que a tapenade é fácil de ser feita em casa. Então se você quer fazer bonito com a sogra, matar a vizinha de inveja ou mesmo preparar uma receita diferente para um agradável momento de convívio com os amigos, basta seguir as instruções abaixo.

Você vai precisar de:

- 200g de azeitonas pretas sem caroço
- 5 filés de anchova em azeite de oliva
- 8 alcaparras escorridas e passadas em água
- 1 dente de alho
- 3 colheres de sopa de azeite de oliva

Super light: Preparando a tapenade você queima algumas calorias antes mesmo de provar do resutado da sua criação.

Como variação você também pode adicionar à receita algumas folhas de manjericão picado e o suco de 1 limão - também fica muito bom, mas aí vai do gosto de cada um. Mesmo as quantidades dos ingredientes podem ser alteradas segundo o seu gosto pessoal sem que isso descaracterize a receita. Como a tapenade é uma receita antiga e familiar, existe uma infinidade de variações possíveis em função das quantidades, da cor das azeitonas utilizadas e da adição de ingredientes - só não vale tirar nenhum item da receita básica, senão deixa de ser tapenade.

Preparação:

O ideal é triturar tudo num pilão, mas você pode também usar um garfo e sua boa disposição. Tem gente que bota tudo no liquidificador ou no mixer e resolve logo a parada, mas acho que isso deixa a pasta homogênea demais e descaracteriza a textura tradicional da tapenade. Detalhe importante: o dente de alho é o único ingrediente que deve ser ralado bem fino antes de ser incorporado à receita.

Et Voilà! A tapenade é uma receita rápida, saborosa e tipicamente francesa.

A tapenade deve ser conservada em geladeira dentro de um recipiente com tampa. O ideal é adicionar um fio de azeite de oliva a cada vez que você voltá-la na geladeira. Você vai perceber que o sabor vai ficando mais apurado com o passar do tempo.

Em Paris você encontra excelentes tapenades nas lojas da Oliviers & Co. ou nas boas lojas de produtos do terroir, boulangeries e supermercados.

Tracy Chapman em Paris

Um dos shows incontornáveis que vão acontecer ainda este ano em Paris é o da songwriter americana Tracy Chapman, que se apresentará no Palais des Congrés de Paris no próximo dia 19 às 20h00.

Esse show foi incluído recentemente no calendário da tournée européia de divulgação do seu oitavo álbum, intitulado Our Bright Future. Ela já havia passado pelos palcos parisienses no mês passado, quando tocou no Folies Bergère e agora volta trazendo os principais sucessos de sua carreira e as canções inéditas de seu novo trabalho.

O show de abertura da tournée na Europa aconteceu em Bruxelas no dia 12 de novembro e, além de Paris, Tracy Chapman passará por várias outras cidades francesas durante o mês de dezembro. Essa é a primeira vez que ela realiza apresentações solo em 10 anos. Em 2006 ela já havia se apresentado na França com outros cantores durante o festival Vieilles Charrues.

Os ingressos custam entre 45,00€ e 65,00€ e você pode adquiri-los na Fnac clicando em: Tracy Chapman Tour 2008

Recordar é viver: abaixo, uma apresentação ao vivo de Talking About Revolutions - na minha opinião, a obra prima de Tracy Chapman.



Palais des Congrés de Paris
Tel.: 08 7320 5217
Metrô: Porte Maillot linha 1

bouton2blanc_100_70_partena.gif

8 de dezembro de 2008

IKEA: boas idéias para um Natal mais verde

Desde 2002 as lojas francesas do grupo IKEA de utilidades domésticas adotam uma iniciativa super bacana para o Natal: um programa de preservação ambiental chamado agir à la racine (agir na raiz) que consiste no apoio de programas de preservação das florestas francesas - que vale dizer, são mesmo muito bem preservadas.

O princípio do programa é baseado na venda e devolução de árvores de Natal e funciona da seguinte maneira: o cliente compra um pinheiro de Natal na IKEA ao preço de 20,00€; ao devolver o pinheiro em qualquer unidade da IKEA entre os dias 2 e 12 de janeiro de 2009, ganha um cupom no valor de 19,00€ para ser usado na compra de produtos nas lojas IKEA - ou seja, no fim das contas o 'empréstimo' da árvore de Natal acaba custando apenas 1,00€ ao cliente.

Os pinheiros que estiverem em boas condições serão plantados nas florestas. Os demais serão transformados em composto orgânico e doados na forma de adubo para entidades de preservação ambiental que atuam em programas de reflorestamento. O 1,00€ que o cliente efetivamente paga pelo pinheiro é transferido integralmente ao Serviço Nacional de Florestas para ser usado em projetos de valorização de florestas naturais preservadas.

Campanhas publicitárias criativas também são uma das 'marcas registradas' da IKEA.

Além dessa iniciativa o grupo IKEA apóia outros programas de proteção ambiental. A empresa conta com inúmeras unidades distribuídas por todo o território francês, e é conhecida na Europa por vender produtos de qualidade a bons preços.

Para saber mais acesse o site: IKEA France

Galéries Lafayette: iluminação de Natal

Mecanismo de busca no Viver Paris

Este final de semana mais de um leitor do blog me sugeriu que eu incluísse um mecanismo de busca no Viver Paris. De fato um mecanismo de busca já existe: é a caixa de texto branca localizada no canto superior esquerdo da página de abertura.

Por outro lado, essas sugestões me fizeram ver que o buscador padrão acaba mesmo passando despercebido para muita gente, e além de ficar meio escondido no cabeçalho do blog não explica com a devida clareza ao que se destina. Assim, tentarei configurar o sistema de busca para deixá-lo mais evidente. Caso não consiga nenhum resultado satisfatório, tentarei substituí-lo por outro.

Até lá, peço que usem esse buscador padrão caso queiram encontrar algum artigo no arquivo do Viver Paris. Basta escrever a(s) palavra(s)-chave na caixa de texto e em seguida clicar no botão "Pesquisar Blog" ao lado.

Instalação de PSD na linha 1 do metrô

Como eu já havia comentado no blog, o metrô de Paris está passando por um grande trabalho de modernização em toda a sua malha. Um desses trabalhos de renovação do metrô visa a instalação de um dispositivo de proteção ao usuário conhecido como PSD (Platform Screen Doors) nas plataformas das estações da linha 1.

A linha 1 é uma das mais usadas pelos turistas que visitam Paris, pois passa ao longo de toda a avenue des Champs-Elysées e dá acesso a pontos turísticos importantes, como o Arco do Triunfo e o museu do Louvre.

Apesar da instalação desse equipamento estar apenas começando, ontem tirei essas fotos na estação Porte Maillot que mostram como estão ficando as obras para colocação das PSD. Porte Maillot é uma das primeiras estações da linha 1 em fase de implementação do equipamento.

As PSD são aquelas portas automáticas de vidro que impedem que o usuário tenha acesso aos trilhos. Elas se abrem para a entrada ou saída do passageiro apenas quando o trem já estiver devidamente parado e alinhado na plataforma.

Na foto acima, uma das estações da linha 14 do metrô de Paris. Atualmente a 14 é a única linha equipada com PSD em todas as estações.

Arvore de Natal da Ferrero Rocher

Esta é a árvore de Natal estilosa instalada pela Ferrero Rocher em La Défense.

No stand montado sob a árvore você pode ver em primeira mão a nova campanha publicitária da marca e ainda ver como são feitos os chocolates Ferrero Rocher através da exibição de um vídeo em telas de alta definição - o mais interessante é que quando você chega perto das telas onde passam os vídeos, você sente o cheiro do chocolate.

Essas são as "telas aromáticas" no interior do stand que mostram como são feitos os chocolates Ferrero Rocher.


E claro que sua visita merece um prêmio: ao sair do stand você ganha um chocolate Ferrero Rocher.

A árvore da Ferrero Rocher tem bolas de Natal que lembram os chocolates da marca.

Collection Vintage Bourjois

Hey les filles! Querem uma idéia de presente original e que é um verdadeiro clássico dos cosméticos parisienses? Estou falando das famosas caixinhas redondas de maquiagem da Bourjois.

A saga dessas caixinhas começou em 1863 quando a Bourjois, instalada nos Grands Boulevards de Paris, passou a produzi-las para maquiar os artistas que se apresentavam nos palcos dos teatros do quartier e da Opéra de Paris. Mas foi apenas 40 anos mais tarde que elas adotaram o estilo que marcaria para sempre a sua originalidade: as caixinhas passavam então a adotar a cor da maquiagem que contêm.

Não demorou muito para que as lendárias caixinhas saíssem dos camarins de atores e atrizes da Comédie Française e ganhassem o status de objeto de desejo das mulheres parisienses do final do século XIX e início do século XX.


Lendárias, atemporais e colecionáveis, elas reapareceram recentemente através de uma reedição chamada Collection Vintage. A série é formada por três blushs (11,35€ cada) e cinco sombras para pálpebras (10,45€ cada) e podem ser encontradas em todos os pontos de venda da Bourjois - dentre os quais estão a Sephora, a BHV, as Galeries Lafayette e até os supermercados da rede Auchan, Carrefour e Monoprix (a relação completa dos pontos de venda está no site da Bourjois).

Se na hora de comprar ficar difícil escolher, você pode comprar todas as oito num estojo de edição limitada e numerada que é vendido apenas nas duas lojas de Paris da l’Eclaireur ao preço de 100,00€.

Para saber mais: http://www.bourjois.fr/

Contagem regressiva para os soldes d'hiver

A ministra da economia Christine Lagarde anunciou ontem no canal France 2 que os tão aguardados soldes d'hiver (saldos de inverno) francês começarão no dia 7 de Janeiro de 2009.

O período de soldes é aquele no qual os preços de quase tudo o que é vendido pelo comércio recebe descontos realmente incríveis: 40%, 50%, 70%, 80%... Portanto, se você vier à Paris no início do ano que vem, espere para fazer suas compras depois do dia 7 de janeiro - depois não vai dizer que eu não avisei!

A duração máxima autorizada para o período de soldes é de seis semanas, mas ao que tudo indica, no ano que vem ele deve durar um pouco mais - a ministra também lembrou que a lei de modernização da economia, promulgada em agosto deste ano, prevê que os comerciantes possam escolher mais duas semanas suplementares para praticar os preços dos soldes.

Outro detalhe: à medida em vai se aproximando a data do final dos soldes, os preços vão sofrendo novas remarcações - o que aumenta ainda mais o percentual de desconto. Se por uma lado a variedade de produtos diminui, de outro os preços vão ficando cada vez mais vantajosos para o consumidor.

Os soldes do verão 2009 também já tem data para começar: 17 de junho.


"-E como é que se diz?" "-Merci, madame Lagarde!" "-Muito bem, Joãozinho!"

Le Rubis

No livro Vrai Guide des Bistrots à Vin de Paris, os autores Jean Lapoujade e Robert Savoye relacionaram os principais endereços dos autênticos bistrôs onde você pode exercitar a prática do bem viver e do bem beber. Justamente porque num bistrot à vin (ou bar à vin) o que há de mais especial costuma sair da adega, e não da cozinha - apesar disso os bons bistrôs de vinho também capricham nas panelas, seja nos pratos do almoço ou nos petiscos servidos ao longo do dia.

Dentre esses endereços, um foi definido pelos autores como “uma jóia mítica da Paris boêmia”, a saber, o bar à vin Le Rubis. Conhecido como um dos melhores lugares de Paris para se apoiar os cotovelos no balcão e pedir uma taça vinho, Le Rubis oferece uma extensa carta centrada principalmente nos vinhos provenientes do Val de Loire e nos Beaujolais.

Apesar de seu interior rústico e ligeiramente surrado o Le Rubis é charmoso e parece ter saído diretamente de uma foto de Doisneau. Além disso suas mesas costumam ser bem freqüentadas: executivo(as) e advogados(as) sérios(as) no horário de almoço; estudantes e galerinha fashion à noite. Para o almoço você pode contar com várias opções caprichadas do típico cardápio de bistrô: andouillette, beouf bourguignon, jarret e o boudin (que custam entre 10,00€ e 12,00€). Fora do almoço o bistrô serve apenas alguns petiscos - prove as excelentes charcuteries.

Em minha opinião, a melhor hora para se fazer um pit-stop no Le Rubis é no finalzinho da tarde, quando no local estão apenas seus bons e velhos clientes costumazes - devidamente instalados ao longo do balcão, deixam o restaurante vazio para que você possa escolher uma mesa bacana antes da chegada da turminha descolada que anima o “turno da noite”.

Le Rubis
Tel.: 01 4261 0334
Metrô: Tuileries linha 1 ou Pyramides linhas 7 e 14
Abre de segunda a sexta das 12h00 às 22h30

6 de dezembro de 2008

5 de dezembro de 2008

Krys: Teste virtual de óculos e armações

A ótica francesa Krys lançou recentemente em seu site uma ferramenta de simulação virtual super interessante a serviço do bom gosto. Através dele você pode ver como ficarão em você os diversos modelos de óculos vendidos na loja - sejam armações de lentes corretivas ou mesmo óculos de proteção solar.

Para testar virtualmente os óculos no seu rosto, basta clicar no botão "Je lance ma simulation" localizado no canto inferior direito da pagina. Em seguida, selecione se deseja realizar a simulação com óculos de sol ou em armações para lentes corretivas. Depois basta você carregar uma foto sua no site e testar a vontade toda a linha de produtos à venda na Krys. Se preferir, você também pode realizar a simulação nas fotos dos(as) modelos que estão pré-carregadas no site - escolha um(a) que tenha o formato do rosto parecido com o seu e divirta-se.

Além do teste virtual você ainda pode consultar as fichas técnicas de todos os óculos e armações, bem como seus respectivos preços. Além dos óculos de criação própria, a Krys também trabalha com as marcas DKNY (EUA), Cerruti 1881 (Itália), Pepe Jeans (Inglaterra) e as francesas SnK e Celio*.

No site você também pode consultar a relação de todos os endereços das lojas Krys. Acesse: http://www.krys.com/

Champs-Elysées Clemenceau

2 dias em Paris

Estou há tempos para escrever este artigo que foi sugerido por um(a) leitor(a) do blog através de um comentário. E como este que vos escreve tarda mas não falha, essa dica de DVD é uma opção interessante para quem quer curtir um filme em casa no final de semana.

O filme 2 dias em Paris é escrito e dirigido pela atriz francesa Julie Delpy, que já havia com Ethan Hawke assinado o roteiro de Antes do pôr-do-Sol. O filme trata dos conflitos emocionais vividos pelo casal Marion (Delpy) e Jack (Adam Goldberg). Namorados há dois anos, ao voltar de uma viagem pela Itália decidem passar dois dias em Paris (cidade natal de Marion) antes de regressarem a New York, onde moram. O americano Jack é um decorador neurótico que de repente se vê as voltas com a namorada completamente integrada ao estilo de vida parisiense. Assim, o rapaz acaba enxergando (além da conta) supostas evidências de infidelidade de Marion. Fotógrafa, ela tem pais liberais, falantes e objetivos; e amigos galanteadores - tudo para o desespero de Jack. E a partir daí segue a trama, baseada nas confusões causadas pela falta de habilidade de Jack com o idioma francês e pela diferença cultural entre o new-yorker e a parisienne.

Nascida em Paris, Julie Delpy soube com maestria desviar o foco da câmera dos pontos turísticos tradicionais para oferecer ao espectador belas imagens das pequenas e inusitadas ruas parisienses, além de mostrar vistas panorâmicas pouco retratadas da cidade - o que pode ser interessante para uns e decepcionante para outros.

O filme usa e abusa dos estereótipos para sustentar a trama, mas o que poderia resultar num verdadeiro desastre acaba se revelando uma ferramenta útil e interessante para mostrar a essência dos conflitos culturais. Confesso que, de imediato, o filme não me agradou - e essa imagem só mudou depois que o vi uma segunda vez. Sobretudo pelo tom de humor exageradamente cáustico com o qual Delpy retrata os parisienses - isso num primeiro momento me incomodou de verdade. Mas no fim das contas percebe-se que o roteiro de Delpy não toma partido e tampouco se faz moralista.

Portanto, para o filme funcionar, veja os estereótipos como simples ferramentas de sustentação do enredo, nada além disso - dessa maneira o filme engrena rápido e faz o saldo ser positivo, revelando um lado sensível e introspectivo da historia. Detalhe: muitos diálogos impróprios para menores são tratados com muita naturalidade no filme - não é nada demais, mas achei de bom tom avisar. Assim, recomendo 2 dias em Paris não como um filmaço, mas como um bom passa-tempo.

Até tentei botar o trailer no artigo, mas não deu certo. Portanto, se quiser ver o trailer e saber um pouco mais sobre o filme, acesse o site oficial: http://www.2daysinparisthefilm.com/

Para comprar na Fnac France: 2 days in Paris
Para comprar no Submarino Brasil: 2 dias em Paris

Château de Chambord

Se durante o seu período de estadia em Paris você decidir visitar o Val de Loire, recomendo que não deixe de conhecer o château de Chambord por nada neste mundo.

Maior e mais imponente de todos os castelos do Val de Loire, o château de Chambord impressiona não apenas pelo seu tamanho, mas também pela sua beleza arquitetônica e pela natureza exuberante que o cerca.

A fachada principal de Chambord. Oh-là-là...

Construído por ordem do rei François I entre 1519 e 1547, o château de Chambord tem 426 cômodos, 77 escadas, 282 chaminés e 800 cúpulas esculpidas. A torre mais alta do castelo, a Tour Lanterne, tem 32 metros de altura e ostenta no topo uma cruz na forma da Flor de Liz, símbolo da monarquia francesa.

A Tour Lanterne vista do terraço superior do castelo.

Apesar de até hoje não ser conhecido o nome de seu arquiteto, evidências mostram claramente as influências de Domenico de Cortona e Leonardo da Vinci na construção - ambos trabalharam oficialmente como arquitetos da corte de François I.

As famosas escadas em duplo-espiral de Chambord são um forte indício do trabalho de Leonardo da Vinci no projeto arquitetônico do castelo.

Chambord conta com uma excelente infra-estrutura para receber os visitantes: os estacionamentos são amplos e existe uma área muito bem montada com restaurantes, toilettes e lojas de produtos regionais em um espaço segregado próximo à entrada - é também nesse espaço que ficam a bilheteria e o centro de informações turísticas. Existe até um charmoso hotel dentro dos domínios do castelo.

A planta formada por quadrados simétricos com torres e salões arredondados nos cantos é uma característica marcante da arquitetura de Chambord.

As impressionantes escadas circulares em espiral de dupla-hélice que servem o átrio principal do castelo possuem dois caminhos simultâneos que jamais se encontram. Assim, duas pessoas acessando a escada no mesmo piso podem subir ou descer ao mesmo tempo sem se encontrar. A figura da salamandra, símbolo do rei François I, está esculpida em alto relevo em praticamente todo o interior do castelo.

Detalhe de uma das escadarias externas, também em espiral.

O castelo de Chambord foi classificado como monumento histórico nacional em 1840 e, posteriormente, como patrimônio mundial da UNESCO em 1981.

O rio Cosson e suas ramificações atravessam os domínios de Chambord.

A área total dos domínios de Chambord totaliza 5.441 hectares, dos quais “apenas” 1.000 hectares são abertos aos visitantes. Outro ponto que impressiona é que toda essa área é cinrcundada por uma muralha de 33 km de extensão - o que seria suficiente para circundar toda a cidade de Paris.

A entrada principal: é por este portão que você vai entrar no maior castelo do Val de Loire.

Chambord também possui o maior parque florestal fechado da Europa. Espécies de animais como o javali e o cervo são típicos e abundantes na região, mas além deles, as florestas de Chambord abrigam mais de 100 espécies diferentes de pássaros nativos.

Os fundos do castelo de Chambord tem verde até aonde a vista alcança - literalmente.

Recomendo que durante sua visita a Chambord você veja o filme exibido na sala audiovisual. Nela você fica conhecendo em detalhe a história da construção do castelo, suas curiosidades arquitetônicas e as personalidades ilustres que já viveram ali.

A alusão não é a toa: o estiloso Sinka-Chambord que marcou época na França e no Brasil é uma marca genuinamente "made in Chambord", assim como o iogurte Chambourcy e o licor Chambord que também são produtos provenientes da região.

O castelo de Chambord fica aberto todos os dias do ano, mesmo aos domingos e feriados. Fecha em apenas 3 ocasiões: 1 de janeiro, 1 de maio e 25 de dezembro. A entrada custa 9,50 na alta temporada e 8,50 na baixa temporada. Quem tem entre 18 e 25 anos paga tarifa reduzida. Menores de 18 anos não pagam ingresso para visitar Chambord. O estacionamento custa 3,00€ a diária.

Vista do exterior do castelo.

O site oficial de Chambord é bem completo e tem todas as informações detalhadas para auxiliar o visitante a planejar sua visita, além de conter muita informação interessante sobre a história deste que é um dos castelos mais visitados da Europa.

Para saber mais: http://www.chambord.org/