17 de janeiro de 2010

Placas, padrões e divagações

Verdadeiros símbolos de Paris (e também por isso escolhidas como logo do Viver Paris, bien sûr), as placas usadas atualmente para indicar os nomes das ruas da cidade seguem o mesmo padrão desde 1847 - sendo um dos mais antigos modelos ainda em uso no mundo.

O padrão das placas exige que elas tenham entre 70cm e 1m de largura, entre 35cm e 50cm de altura, que estejam posicionadas de 2m a 2,5m de altura em relação ao solo e que indiquem também o arrodissement. As cores também obedecem uma regra: letras brancas, fundo azul de ftalocianino de cobre, enquadramento verde de oxido de cromo e relevos com efeitos de sombra em branco e preto.

Como manda o figurino: assim é a placa da rue Servandoni.

Mas apesar desse padrão tão antigo quanto bem estabelecido, a cidade se dá ao direito de preservar algumas pequenas e curiosas "transgressões", como a da rue Jacob (6ème) que tem uma plaquinha minúscula sob a placa em tamanho padrão ou a rue Agar (16ème), que tem uma placa toda estilizada em art nouveau. A rue de Castellane (8ème) tem a placa feita em mozaico de porcelana e a avenue de Tourville (7ème) ostenta uma placa ornamentada por uma bela moldura haussmannienne.

Para adultos e crianças: a curiosa plaquinha da rue Jacob.

Que nem eu, só tem eu: a estilosa placa da rue Agar (foto de Henry Salomé)

Alardeada de anjos: a suntuosa plaquinha da avenue de Tourville.

Outro detalhe que gosto de observar em Paris é que ainda hoje também podemos ver tanto as antigas plaquinhas quadradas feitas em porcelana quanto as gravações (ainda mais antigas) feitas em pedra nos próprios edifícios (foto menor). E são justamente essas gravações preservadas que nos permitem descobrir, por conta própria, algumas curiosidades sobre as ruas de Paris como, por exemplo, que a rue Elzévir (3ème) um dia se chamou rue des Trois Pavillons, ou ainda que o nome da rue de Buci (6ème) antigamente era grafado rue de Bussy.


A primeira vez que me dei conta desses detalhes foi durante um passeio pela Île Saint-Louis e imediações dos metrôs Saint-Paul (linha 1) e Pont Marie (linha 7). Depois disso, sempre que caminho pelas ruas da cidade, gosto de dedicar um pouquinho da minha atenção às placas das ruas. Ao meu modo, acho que essas placas - sobretudo as que fogem à regra - revelam, de maneira sutil, um pouquinho da beleza de Paris, nos mostrando que o conceito de beleza pode sim, estar acima de qualquer padrão.

Um comentário:

Claudia Bins (Cacau) disse...

Maravilhoso Jackson! Você mais uma vez nos brinda com pérolas dessa cidade maravilhosa... cada um de seus detalhes fazem a diferença...

Abraço e parabéns mais uma vez!

Cacau