10 de julho de 2010

Canicule: cuidados para aproveitar bem o verão parisiense

A onda de calor que se abateu sobre Paris esta semana felizmente já está se dissipando. Mas, se você está de malas prontas para curtir o verão parisiense deste ano, é bom saber um pouco mais sobre essas ondas de forte calor, pois 2010 é ano de canicule.

A canicule é um fenômeno meteorológico no qual uma massa de calor proveniente do Norte de África se acumula rapidamente sobre algumas regiões da Europa e não consegue se dissipar durante vários dias. Em dias de canicule o tempo se torna muito abafado, as temperaturas permanecem constantemente em patamares muito altos (inclusive a noite) e podendo ocorrer até a completa ausência de vento.

Quem costuma acompanhar as imagens ao vivo da torre Eiffel aqui no blog (Tour Eiffel ao vivo) deve ter percebido que esta semana, em dias ensolarados e de céu aberto, Paris aparecia coberta por uma camada alaranjada que pairava acima dos edifícios. Pois bem, essa camada alaranjada não era poluição, mas sim areia - vinda do Saara juntamente com a massa de ar quente que forma a canicule.

Apesar de ter feito muito calor, no verão de 2007 a canicule não deu o ar de sua graça em Paris, e as pessoas ainda arriscavam pegar um solzinho. (Foto: jornal Le Figaro)

Apesar de alguns brasileiros estarem habituados ao calor mais intenso e os portugueses conhecerem de perto essas insuportáveis ondas de calor, é recomendável que todo turista (sem exceções) tome certos cuidados em relação a canicule quando ela aparece. Esse fenômeno natural produz condições climáticas diferentes daquelas com as quais os sul-americanos estão acostumados. Para se ter uma idéia, o ano de 2003 registrou um dos mais fortes períodos de canicule da historia da França, resultando na morte de aproximadamente 15.000 pessoas em todo o país vitimadas pelo calor.

No verão a prefeitura de Paris costuma instalar aspersores de água nos pontos da cidade onde acontece a Paris Plage. (Foto: portal l'Internaute.com)

Desde então as autoridades francesas estão cada vez mais alertas em relação a esse fenômeno, e mantém a população bem informada através de todos os meios de comunicação disponíveis. Apesar do forte calor da última semana, tudo indica que a canicule deste ano não será tão violenta quanto a de 2003, mas ainda assim o verão parisiense de 2010 vai demandar certos cuidados. Para começar, o viajante precavido deve anotar em seu caderno de viagens os seguintes telefones úteis (só porque nunca é demais prevenir, principalmente quando estamos viajando):

Ministério da Saúde da França (Canicule Info Service): 0 800 06 66 66
SAMU: 15
Bombeiros: 18
Centro de urgências União Européia: 112

Com a onda de calor desta semana, o espelho d'água do Louvre se tornou tábua de salvação contra a canicule. (Foto: revista Le Point)

Do mais, o negócio é viajar com tranqüilidade, bastando ter em conta alguns cuidados simples, mas também muito importantes:

* Evite passeios em locais abertos sob Sol intenso ou nos horários do dia de maior calor. Para saber quais são esses horários, basta olhar a TV - os canais franceses têm um serviço de meteorologia invejável e nessa época do ano capricham ainda mais na informação. Ou então acesse: Météo-France.com.

* Quando estiver dentro de casa ou no quarto do hotel, mantenha as janelas bem fechadas. Isso vai impedir a entrada do calor.

* Evite ao máximo se expor ao Sol ou praticar atividades físicas sob o Sol. Prefira fazer seus passeios externos no início da manhã ou no final da tarde. Se sair ao longo do dia, procure estar sempre à sombra.

* Durante os passeios, use sempre chapéu ou boné e roupas leves, preferencialmente de algodão em cores claras.

* Se possível, tome algumas duchas ao longo do dia para refrescar.

* Não espere a sede e mantenha a hidratação. O Ministério da Saúde francês recomenda que bebamos 1,5 litros de água por dia nessa época do ano. Leve sempre água com você durante os passeios e conte sempre com as fontaines Wallace (são mais de 100 instaladas por toda a cidade) e demais bebedouros públicos parisienses.

Dica refrescante: a água mineral da marca Cristaline é a mais vendida e a mais barata de toda a França - a garrafa de 1,5 litros custa por volta de 0,20€ nos supermercados. Muitos turistas acabam pagando mais caro por outras marcas conhecidas internacionalmente porque não conhecem a Cristaline e por desconfiarem do preço baixo. Essa eu bebo e recomendo, tanto pelo preço quanto pela qualidade.

* Reduza e, se possível, evite o consumo de álcool sob calor intenso - mesmo durante as refeições.

* Um bom substituto da água em sua forma líquida é o consumo de frutas como melão, ameixas, uvas, tomates e frutas cítricas. O pepino nas saladas também ajuda a hidratar. Em dias de muito calor, prefira a gelatina e o sorbet ao chocolate ou doces cremosos a base de leite.

* E claro, redobre sua atenção com as crianças e idosos, e também com pessoas que tenham alguma limitação física ou mental.

Outra imagem da pirâmide do Louvre nesta semana. (Foto: AFP)

Para saber mais, acesse a página sobre a canicule do Ministère de la Santé e des Sports. Ali você vai encontrar tudo o que é preciso saber para enfrentar as ondas de calor com mais conforto e saúde.

Aproveitar intensamente o verão parisiense é mesmo uma beleza, mas fazer isso cuidando bem da saúde é ainda melhor.

2 comentários:

Ana Paula disse...

Olá queridos!

Não tive a oportunidade de enfrentar o verão em Paris, mas posso dizer que tive certa dificuldade para encontrar a marca de água de minha preferencia.
Parece besteira, mas não é. A água deles é muito diferente e eu não suportava o gosto dela, aí tive que ir comprando várias marcas para poder encontrar uma parecida com a brasileira... A Cristaline realmente é muito boa, e também tem água da Nestle, mas a melhor água (digo melhor no sentido de ser a mais parecisa com a água brasileira) é a Volvic, que vende em qualquer Monoprix espalhado pela cidade. Quanto ela custa eu juro que não me lembro, mas não é nada caro.

Jackson Martins disse...

Verdade Ana Paula, por conta dos sais minerais, algumas aguas francesas têm mesmo um certo 'gosto' que num primeiro momento não casa bem com o paladar dos brasileiros. De fato a Cristaline, a Nestlé e a Volvic são algumas das aguas minerais que mais se assemelham com as que são vendidas no Brasil. Em breve devo publicar um artigo sobre esse tema aqui no blog. Obrigado pelas dicas e pelo seu comentario. Um abraço!

Ah, a garrafa de 1,5 litros da Volvic (considerada uma das aguas minerais mais puras do mundo) custa por volta de 0,70€.