8 de abril de 2009

Philippe Starck

Irônico, excêntrico, criativo, irreverente, visionário, obstinado, genial... Difícil alguém falar do arquiteto e designer parisiense Philippe Starck sem mencionar junto ao seu nome alguns desses adjetivos.

Mas para sermos justos não podemos nos esquecer de adicionar à lista eclético e versátil - Starck desenha de escovas de dentes a metais sanitários, de quartos de hotel a espremedores de frutas, tudo com maestria suficiente para ser visto como um verdadeiro mestre do design francês e ser o grande ídolo dos jovens estudantes de arquitetura.

Parisiense nato, Starck nasceu em 1949 e realizou seus estudos na Ecole Centrale des Arts Decoratifs. Com apenas 20 anos de idade fundou uma empresa para vender casas infláveis que ele mesmo desenhava. Entre os anos de 1969 e 1975 Stark passou a trabalhar em colaboração com Pierre Cardin. Um ano depois, com o fim da parceria e com mais independência para inventar, trabalha na decoração de casas de espetáculos e night-clubs parisienses. Nos anos 80 começa então a (re)criar com afinco peças coloridas e bem humoradas voltadas para o uso na atividade cotidiana, como o seu famoso espremedor de laranjas Juicy (provavelmente sua criação mais conhecida), a escova de dentes dr. Kiss e uma infinidade de outros utensílios domésticos: pratos, escorredores de massas, talheres, ganchos para toalhas...

Simples e genial, o espremedor de frutas Juicy se tornou um símbolo da capacidade criativa de Philippe Starck.

Em seguida Starck muda seu foco para a arquitetura: passa a projetar casas de espetáculos e cafés no Japão e Espanha, casas ultramodernas e uma fábrica na França, um museu na Holanda e a reformar antigos hotéis nos Estados Unidos. Depois dessa fase de grandes obras, Philippe Starck volta a dedicar sua criatividade às peças para o dia a dia, visando simplificar a vida cotidiana das pessoas em casa e no escritório: cadeiras, mouses, relógios, mesas, puxadores de porta, louças sanitárias, mouses...

A surpresa do ano: Em 2008 o luxuoso hotel Le Royal Monceau de Paris foi fechado, teve seu interior demolido e todo o mobiliário leiloado. O hotel será reinaugurado no proximo outono, totalmente modificado por Philippe Starck.

Outro ponto interessante que reflete a personalidade do designer é sua afirmação recorrente de que espera que jamais exista um “estilo Starck”, porque faz questão de se reinventar de tempos em tempos, mudando sua forma de trabalhar com a mesma habilidade com a qual transforma o desenho e a utilidade de objetos já consagrados - quando achamos que nada mais pode ser feito para inovar o visual ou a maneira de usar de algum utensílio, eis que surge Philippe Starck com alguma novidade e aquela cara de Yes, we can!

Cartão postal japonês com sotaque parisiense: A Flamme d'Or em Tokyo, by Philippe Starck.

Uma de suas últimas linhas de criação do designer são os metais sanitários, feitos em parceria com a empresa alemã Hansgrohe. Mas como sempre, o trabalho de Philippe Starck não se limita a desenhar peças bonitas: com os metais sanitários o desafio de Starck é aliar a tecnologia de fabricação e a beleza do design com a praticidade de instalação e o uso racional da água. Para esse verdadeiro "faz-tudo" francês, é a utilidade que justifica o seu trabalho.

As banquetas cromadas 'Bubu II' têm assento removivel para que você possa guardar o que quiser dentro delas. São uma variação das 'Bubu 1er', transparentes e que se parecem com uma fatia de limão se vistas de cima.

Em Paris algumas ds criações de Philippe Starck que você pode ver fora das lojas são as seguintes: a sala de espera da Eurostar na Gare du Nord, o edifício da Fondation Baccarat, a decoração do famoso Hotel Meurice na rue de Rivoli, as garrafas das águas minerais das marcas St-Georges e Glacier, a última moeda de Franco de 2001 e a moeda comemorativa de 2,00€ que celebra a presidência francesa da União Européia em 2008 - a única obra de Philippe Starck que tenho em casa - e mais uma infinidade de objetos, das massas da Panzani a peças do mobiliário urbano - que muitas vezes sequer nos damos conta quando vemos, mas que foram desenhadas por este ícone parisiense do design.

Quer tentar adivinhar quem desenhou o yacht do magnata russo Andrei Melnichenko? Melnichenko é um dos maiores colecionadores das obras de Monet do mundo.

Atualmente Philippe Starck viaja o mundo todo para atender seus contratos, mas divide o tempo para descanso e criação entre as cidades de Paris, Veneza e New York.

Para saber mais: Starck.com

3 comentários:

Cláudia disse...

Adoro Starck,seus projetos (Kong,Faena,etc),cadeiras, luminárias e uma infinidade de objetos.Como a sua capacidade criativa é infinita,algumas vezes ele se perde, como na luminária com base de revólver que criou para a Flos.Alguém compraria se não fosse criada po ele? Bem, gosto não se discute, tanto que
achei engraçado o comentário da Danuza Leão no livro Fazendo as Malas, onde ela declara que tem pavor a tudo o que é feito por ele.

Jack Martins disse...

Oi Claudia, obrigado pelos cometarios e pela correção - realmente havia me passado despercebido. Abraço.

Wallace disse...

Aplaudo Starck quando faz objetos com Material biodegradável, mas o espremedor de frutas é MEDONHO do ponto de vista da estética...