3 de fevereiro de 2009

Crêpe

Que tal começar o dia falando de uma especialidade culinária bacana, que todo mundo gosta e que (claro) é tipicamente francesa? Primeiro vamos às informações e curiosidades - e se você prestar atenção, depois tem receita. Senão, nada de crêpe para você.

Até hoje não conheci um brasileiro sequer que tenha vindo à Paris e resistido ao delicioso cheiro do crêpe que sai das barraquinhas espalhadas pela cidade. E para que você conheça o crêpe em prática e teoria, seguem algumas curiosidades sobre essa irresistivel iguaria. Vamos à elas:

As massas dos crêpes são preparadas basicamente de duas maneiras distintas, de acordo com o tipo de farinha utilizada: crêpes de massa clara são feitos a partir da farinha de froment (trigo) e os crêpes de massa escura com farinha de sarrasin (trigo mourisco). A maneira mais comum de consumo do crêpe é com recheios que podem variar ao gosto do freguês. E é aqui que entra a importância da diferença entre as massas: crêpes doces costumam ser feitos com a massa clara de froment, já os salgados usam a massa escura de sarrasin. Mesmo em Paris os crêpes salgados são comumente chamados de galettes (não confunda com a galette des rois, Joãozinho - que é outra coisa completamente diferente). Essa denominação dada ao crêpe salgado de massa escura é proveniente da Bretanha, local onde o crêpe é uma especialidade regional.

Versáteis, essas belezinhas podem ser recheadas ao gosto do freguês.

Na Bretanha o recheio mais tradicional da galette é o de presunto e queijo (a famosa galette jambon/fromage). E aqui vale um lembrete: nas creperias da Bretanha normalmente perguntam se o cliente quer a galette "complète" - a complète leva um ovo semi-cru por cima.

Outras variações regionais comuns para o crêpe são encontradas em Pas-de-Calais, extremo norte do país, onde a cerveja é incorporada à massa; e na Normandia, onde a massa leva o calvados - uma bebida destilada feita de cidra.

Já o famoso crêpe Suzette, inventado por Auguste Escoffier, é preparado com a adição da beurre Suzette à massa (manteiga fundida com açúcar, Grand Marnier e sumo de laranja e limão). Depois de pronto o crêpe Suzette pode ou não ser flambado ao Grand Marnier. Auguste Escoffier (1846-1935) ficou conhecido mundialmente em sua época como o rei dos chefes de cozinha, tendo comandado as panelas nos restaurantes do Grand Hôtel de Monte-Carlo e dos hotéis Ritz de Paris e New York - e em outros locais de renome similar.

O que é Joãozinho? Ficou com vontade de comer crêpe mas está longe da França? Não tem problema. Você vai aprender agora a fazer a receita de uma autêntica massa de crêpes que foi publicada no livro Ô les bonnes crepes, de Marie-Laure Tombini - uma especialista no assunto.

Crêpe Salée: os crêpes salgados também são chamados de galettes.

Recursos materiais (eu sei, engenheiro anotando receita é um inferno)
-250g de farinha
-3 ovos
-500ml de leite
-1 colher de sopa de óleo
-2 colheres de sopa de Grand Marnier (rum também serve)
-1 pitada de sal

Implementação
-Dentro de uma tigela coloque a farinha e o sal. Bata ligeiramente os ovos e adicione-os à sua mistura. Misture tudo com um batedor manual até que a massa fique bem lisa.
-Adicione lentamente o leite e, em seguida o óleo e o licor. Misture tudo.
-Cubra a tigela com um pano e deixe sua massa repousar em temperatura ambiente durante 1 hora.
-Na hora de usar verifique a fluidez da massa - ela deve ser bem leve e fluida: se necessário, adicione um pouco mais de leite ou de licor. A diferença de fluidez pode variar dependendo da farinha utilizada.
-Em seguida basta espalhar bem a massa sobre uma chapa de crêpe (que a propósito, o nome correto é billing) ou sobre uma frigideira antiaderente grande et voilà ! Eu costumo fazer com queijo emmental ralado ou com Nutella, mas você pode rechear o seu crêpe com o que bem entender. Depois basta dobrar o danadinho em quatro e partir para o abraço. A receita é suficiente para você fazer 15 crêpes.

Duas pequenas observações úteis:
1. Escrevi "crêpe" (com o acento do vovô) no artigo para respeitar a grafia francesa, porém, aqui pronunciamos da mesma maneira que no Brasil: crépe.
2. Crêpe em francês é uma palavra feminina. Portanto aqui você diz "la crêpe", "une crêpe", etc. Como em português "crepe" é uma palavra masculina, eu usei sempre a referência no masculino para não ficar esquisito.

2 comentários:

Anônimo disse...

a receita ficou muito boa...fiz o meu salgado com farinha de trigo mesmo, não achei a outra por aqui ainda...fiz assim...queijo brie, alho em fatias pequeninas e azeite... a minha doce foi leite condensado com banana e canela...bom pra daná

Jack Martins disse...

Êita! Deu até vontade...