5 de dezembro de 2008

2 dias em Paris

Estou há tempos para escrever este artigo que foi sugerido por um(a) leitor(a) do blog através de um comentário. E como este que vos escreve tarda mas não falha, essa dica de DVD é uma opção interessante para quem quer curtir um filme em casa no final de semana.

O filme 2 dias em Paris é escrito e dirigido pela atriz francesa Julie Delpy, que já havia com Ethan Hawke assinado o roteiro de Antes do pôr-do-Sol. O filme trata dos conflitos emocionais vividos pelo casal Marion (Delpy) e Jack (Adam Goldberg). Namorados há dois anos, ao voltar de uma viagem pela Itália decidem passar dois dias em Paris (cidade natal de Marion) antes de regressarem a New York, onde moram. O americano Jack é um decorador neurótico que de repente se vê as voltas com a namorada completamente integrada ao estilo de vida parisiense. Assim, o rapaz acaba enxergando (além da conta) supostas evidências de infidelidade de Marion. Fotógrafa, ela tem pais liberais, falantes e objetivos; e amigos galanteadores - tudo para o desespero de Jack. E a partir daí segue a trama, baseada nas confusões causadas pela falta de habilidade de Jack com o idioma francês e pela diferença cultural entre o new-yorker e a parisienne.

Nascida em Paris, Julie Delpy soube com maestria desviar o foco da câmera dos pontos turísticos tradicionais para oferecer ao espectador belas imagens das pequenas e inusitadas ruas parisienses, além de mostrar vistas panorâmicas pouco retratadas da cidade - o que pode ser interessante para uns e decepcionante para outros.

O filme usa e abusa dos estereótipos para sustentar a trama, mas o que poderia resultar num verdadeiro desastre acaba se revelando uma ferramenta útil e interessante para mostrar a essência dos conflitos culturais. Confesso que, de imediato, o filme não me agradou - e essa imagem só mudou depois que o vi uma segunda vez. Sobretudo pelo tom de humor exageradamente cáustico com o qual Delpy retrata os parisienses - isso num primeiro momento me incomodou de verdade. Mas no fim das contas percebe-se que o roteiro de Delpy não toma partido e tampouco se faz moralista.

Portanto, para o filme funcionar, veja os estereótipos como simples ferramentas de sustentação do enredo, nada além disso - dessa maneira o filme engrena rápido e faz o saldo ser positivo, revelando um lado sensível e introspectivo da historia. Detalhe: muitos diálogos impróprios para menores são tratados com muita naturalidade no filme - não é nada demais, mas achei de bom tom avisar. Assim, recomendo 2 dias em Paris não como um filmaço, mas como um bom passa-tempo.

Até tentei botar o trailer no artigo, mas não deu certo. Portanto, se quiser ver o trailer e saber um pouco mais sobre o filme, acesse o site oficial: http://www.2daysinparisthefilm.com/

Para comprar na Fnac France: 2 days in Paris
Para comprar no Submarino Brasil: 2 dias em Paris

2 comentários:

Cláudia disse...

Adoro cinema e dos filmes que você já falou,só não assisti Mondovino
que ainda continua na minha lista de pendências.Como os franceses são
os meus favoritos,sou cadastrada no
site allocine.fr para ficar bem informada.Torço para que cheguem logo ao Brasil,o que na maioria das vezes não acontece.
Paris,do Klapisch,só vi recentemente e me tocou bastante.
Da safra dos mais novos que estrearam aqui,gostei muito de Canções de Amor,Medos Privados em Lugares Públicos,Molière,A Culpa é do Fidel,Crimes de Autor,Um Lugar na Platéia.

Jack Martins disse...

Bela lista de filmes, Claudia! Realmente é uma pena que muitos dos bons filmes franceses não cheguem ao Brasil. E quando chegam acabam sendo exibidos por poucos dias nas salas do circuito alternativo. Quem sabe um dia isso muda... Estamos na torcida.