24 de março de 2009

Linha Rosa: o meridiano e o monumento a Arago

Quem não se lembra dos medalhões da Linha Rosa, que ficaram mundialmente conhecidos ao serem mencionados pelo escritor Dan Brown no livro O Código da Vinci? O termo Linha Rosa (Rose Line) que aparece no livro de Dan Brown corresponde na verdade a Meridienne de France - o meridiano que atravessa a cidade de Paris e que fica situado a 2° 20' 14,025" a leste do meridiano de Greenwich. Dentro do território francês o meridiano tem como pontos extremos as cidades de Dukerque e Perpignan.

O meridiano que atravessa Paris foi definido em 1667 pelos matemáticos da Academia Francesa na época da construção do Observatoire de Paris e até 1884 foi usado como meridiano de referência no cálculo de distâncias geográficas e do sistema métrico. Na Conferência Internacional de Washington de 1884, composta por representantes de 25 países, definiu-se que o primeiro meridiano passaria a ser o de Greenwich ao invés da Meridienne de France. Dentre os países participantes, apenas dois foram oficialmente contrários a essa decisão: França e Brasil.

Este medalhão fica na Cité Internationale Universitaire de Paris.

Os medalhões mostrados no filme e que em determinado momento são seguidos pelo personagem interpretado no cinema por Tom Hanks, compõem um monumento dedicado a François Arago - cientista e homem político francês, que recebeu postumamente essa homenagem por ocasião das comemorações do bicentenário de seu nascimento. François Arago utilizou o meridiano francês para realizar os cálculos do sistema métrico padrão. Além desse monumento, o cientista também teve seu nome gravado na Tour Eiffel e um asteróide foi batizado de 1005 Arago em sua homenagem.

Positivo, este indivíduo foi encontrado vadiando nos fundos da Comédie française.

O monumento a Arago é distribuído pela cidade ao longo do meridiano, sendo formado por uma coluna localizada na Place de l'Île de Sein, de onde partem 135 medalhões de bronze com 12 centímetros de diâmetro. Deste total, 134 medalhões estão cravados no solo parisiense perfilados sobre a Meridienne de France, um apenas não fica no chão - justamente o que está instalado na coluna da Place de l'Île de Sein. A coluna fica alinhada com o Observatoire de Paris, cujo centro também é atravessado pelo meridiano. Os medalhões em homenagem a François Arago foram concebidos pelo artista holandês Jan Dibbets e instalados na cidade de Paris em 1994. Cada medalhão leva o nome de Arago e as indicações de Norte e Sul.

Esse até o Tom Hanks viu, Joãozinho! Com vocês, o medalhão que fica próximo a Piramide do Louvre.

Puxando pela memória me lembro de ter já visto os medalhões em homenagem a Arago também no Jardin du Luxembourg e nas proximidades do Palais Royal - acho até que tem um dentro do Musée du Louvre. Os medalhões podem ser vistos em diversos pontos do 1°, 2°, 6°, 9°, 14° e 18° arrondissements, os quais são atravessados pelo meridiano. Sempre é bacana sermos surpreendidos pelo encontro inesperado com um desses medalhões durante um passeio pela cidade.

Esse aqui costuma ser visto com certa freqüência em Montmartre.

Para quem quiser ficar por dentro do circuito de O Código da Vinci em Paris, o portal francês L'Internaute montou um curioso roteiro passo a passo com muita informação interessante. Tudo com fotos e endereços, além de um comparativo entre a ficção retratada na obra de Dan Brown e a realidade. Vale a visita.

Monumento a Arago
Place de l'Île de Sein
Metrô: Saint-Jacques linha 6

Foto menor: O Monumento a Arago na Place de l'Île de Sein porta o único dos 135 medalhões de bronze da Linha Rosa que não fica cravado no solo.

Nenhum comentário: