9 de março de 2009

O turista idoso em Paris: Transporte público

No final de semana recebi um e-mail super bacana dos leitores Airton e Lucia Galvão no qual eles sugerem um tema bastante interessante: Paris para o turista idoso. Como o assunto é abrangente optei por dividi-lo em alguns tópicos que aparecerão no Viver Paris ao longo desta semana. Para começar, o transporte público municipal.

Quem já esteve na cidade sabe que o metrô parisiense é um verdadeiro exemplo de abrangência, sinalização e eficiência, ligando praticamente todos os lugares da cidade e suas imediações. Porém, nem sempre o sobe-desce pelas escadas de acesso às plataformas ou as andanças pelos túneis para efetuar as interligações entre as linhas se mostram tarefas das mais agradáveis - sobretudo para o turista com mais carnavais no currículo e que prefere gastar as energias caminhando pelas galerias do Louvre.

E atualmente temos um complicômetro agindo diretamente no conforto e acessibilidade das estações do metrô, sobretudo para os mais idosos: as obras de modernização do metrô. A RATP, empresa responsável pela operação do transporte público em Paris, vem realizando um longo trabalho de reforma nas estações. A intenção é que tenhamos em breve um metrô mais bonito, seguro e acessível para todos. Mas até lá as obras no metrô têm causado transtornos inevitáveis ao usuário, já que os serviços são executados em etapas e em várias estações simultaneamente. Assim, vemos as plataformas de algumas estações temporariamente sem bancos de espera, os pisos de outras com o contra-piso irregular aguardando novo revestimento, o estreitamento da área de circulação de algumas plataformas dando lugar aos materiais da obra, ou mesmo o fechamento temporário de algumas estações nas etapas mais críticas do projeto.

Estação Villiers na linha 2: os bancos de espera cedem lugar aos tapumes durante as obras de renovação do metrô.

Se para os mais jovens esses pequenos aborrecimentos cotidianos podem parecem facilmente contornáveis, para o turista idoso que acabou de vencer corredores e escadarias e ainda tem muito que passear pela cidade, não passam (e por precaução nem devem passar) despercebidas as irregularidades no piso de uma plataforma ou o desconforto por aguardar o trem de pé em algumas estações. Mas deixo claro que essas obras afetam algumas estações com menor ou maior grau de intensidade do que outras - algumas já foram reformadas por completo e outras seguem ainda inalteradas.

De qualquer maneira, uma alternativa que pode se traduzir em mais conforto para o turista idoso é o uso dos ônibus parisienses ao invés do metrô. Se o metrô é mais rápido, os ônibus por sua vez são menos cheios e têm a vantagem de oferecer durante todo o percurso a cidade de Paris desfilando, linda como sempre, aos olhos dos passageiros. Os ônibus parisienses também interligam toda a cidade, e são muito mais amplos, limpos e confortáveis que os ônibus que estamos acostumados a ver no Brasil. Com exceção das linhas que ligam o centro de Paris à periferia, as demais costumam circular com poucos passageiros. Algumas linhas oferecem um verdadeiro city tour pelos pontos turísticos da cidade enquanto outras nos convidam a descobrir locações insólitas tipicamente parisienses. Portanto, sobretudo para o turista que dispõe do privilégio de visitar a cidade no meio da semana (quando os ônibus estão mais vazios), circular de ônibus é uma excelente opção - ainda mais agora que o inverno começa a dar lugar aos sinais da primavera e os dias já se tornaram mais longos e ensolarados.

Bonitões e confortáveis, os ônibus parisienses têm assentos amarelos para os mais experientes e assentos verdes para os meros mortais.

Os horários de maior movimento dos ônibus são entre as 8h00 e 9h00 pela manhã e entre as 17h00 e 19h00 a tarde. Em outro artigo publiquei algumas informações úteis sobre o bom aproveitamento do tíquete nos passeios de ônibus. Clique aqui para ler o artigo.

Tanto o metrô quanto os ônibus têm assentos de uso preferencial para idosos e demais beneficiários desse direito. Esses assentos são indicados por uma etiqueta com os dizeres Places Réservées. Os locais dos assentos reservados no metrô variam de acordo com a linha/modelo do trem. Na linha 1 do metrô, por exemplo, os assentos reservados estão localizados próximos à articulação que liga um vagão ao outro. Nas demais linhas os assentos reservados costumam estar entre uma porta e outra dos vagões. Nos ônibus os acentos preferenciais são os mais à frente e também estão sinalizados - para facilitar a identificação os assentos preferenciais nos ônibus normalmente têm o revestimento amarelo, enquanto os demais assentos são de cor verde.

No metrô etiquetas iguais a essa indicam os assentos de uso preferencial.

Voltando ao metrô, infelizmente nem todas as estações são equipadas com escadas rolantes e elevadores. Desde que a primeira escada rolante foi instalada em 1906 na estação Père-Lachaise, a companhia do metrô de Paris vem instalando-as em suas estações, mas ainda hoje nem todas têm o equipamento - algumas estações dispõem de escadas rolantes em alguns acessos apenas. No metrô de Paris existem atualmente 386 escadas rolantes instaladas, distribuídas em 161 estações diferentes - vale lembrar que o metrô de Paris tem ao todo 297 estações.

Elevadores existem apenas em estações que se enquadram em um caso particular: quando a altura ou profundidade da plataforma ultrapassa 12 metros em relação à superfície ou 8 metros em relação ao local da bilheteria. No total, 10 estações de metrô em Paris são equipadas com elevadores por conta dessa particularidade: Saint-Michel, Cité, Buttes-Chaumont, Pré-Saint-Gervais, Pelleport, Saint-Fargeau, Porte-des-Lilas, Jaurès, Lamarck-Caulaincourt e Abbesses.

Algumas poucas estações contam ainda com tapetes rolantes (igualzinho ao do desenho dos Jetsons) para realizar a interligação entre linhas mais distantes. Um bom exemplo é o tapete rolante instalado em 2002 na estação Montparnasse-Bienvenüe - com 185 metros de comprimento e deslocando os usuários a 9,0km/h na faixa rápida e a 3,0km/h na faixa confortável, ele liga as linhas 6 e 13 de um lado às linhas 4 e 12 de outro.

Sinta-se o George Jetson do pedaço: As faixas internas são mais rápidas, mas se não estiver com pressa use as externas que são mais confortáveis.

Em Paris as reduções e isenções de tarifa do transporte público municipal concedidas aos idosos contemplam apenas os residentes na França através de dois documentos distintos: a Carte Rubis e a Carte Améthyste. A Carte Rubis é expedida pelos centros de ação social de Paris e é reservada aos parisienses que se enquadrem nos critérios estabelecidos de recursos, idade, domicílio e aposentadoria ou a antigos combatentes e viúvas de guerra. Já a Carte Améthyste é dedicada aos aposentados e portadores de necessidades especiais residentes na França. Portanto, em Paris o turista idoso paga a mesma tarifa de transporte público que os demais usuários - apenas crianças menores de 4 anos não pagam se viajarem no colo e crianças entre 5 e 10 anos pagam meia tarifa.

Vale lembrar:
-Em Paris, em qualquer escada do metrô ou nos tapetes rolantes, mantenha-se sempre à sua direita. A parte mais à esquerda da escada deve ficar livre para a passagem de pessoas mais apressadas ou para os que vêm em sentido contrário no caso de escadas convencionais de sentidos compartilhados.
-O mesmo bilhete ou cartão NaviGo que você usa no Metrô serve também para os ônibus. Os mapas da rede de transporte municipal podem ser obtidos gratuitamente com os motoristas ou nas bilheterias da RATP.
-No site da RATP você pode imprimir os mapas de ônibus e metrô assim como traçar seu roteiro de deslocamento pela cidade, inclusive com estimativa de tempo de percurso. Para acessá-lo clique em RATP.
-Guarde seus bilhetes de ônibus e metrô validados durante todo o percurso. A fiscalização dos bilhetes pode não ser uma prática freqüente, mas é bem comum ainda assim.

Fontes consultadas: Site oficial da RATP, portal Insecula.com, livro Métro Insolite (Clive Lamming, editora Parigramme) e portal de transporte Symbioz.net.

3 comentários:

Anônimo disse...

Olá, estou me divertindo lendo o seu blog. Sobre o tranporte de ônibus, disse que o Navigo inclui os ônibus. Sabe se o carte orange também inclui os ônibus?

Anônimo disse...

Ola ,esteou começando a programar uma viajem em Paris e temos conosco uma oitentona muito linda, e queremos garantir um passeio bem seguro e confortável para ela ,seu blog está entre os meus favoritos, obrigado.

claudia disse...

olá! Vou levar meus queridos pais em abril para conhecer Paris. Eles têm idade avançada e o seu blog foi muito ùtil. Obrigada por ter dedicado oseu tempo a escrevê-lo!