27 de março de 2009

Rádio: uma paixão nacional

A França conta com um enorme contingente de ouvintes fiéis de rádio. Cultivam o habito há tanto tempo que muitos são incapazes de se lembrar quando foi que o rádio passou a fazer parte de seu dia a dia de forma indispensável.

A rádio France Inter, por exemplo, está tão presente na vida dos franceses que apreciam informação e cultura quando pode estar a Jovem Pan ou a CBN para um paulistano em busca das primeiras notícias do dia. Assim como muitos brasileiros fazem todas as manhãs, os franceses também têm o hábito de sintonizarem os rádios de seus carros enquanto dirigem até o trabalho. Alguns ouvem o mesmo programa todos os dias, enquanto outros mudam de estação de acordo com seu humor, saltando da France Culture para a France Info e desta para a Europe1 para, em seguida, mudar para a RTL2.

A Maison de la Radio France: Referência de informação também no Brasil.

Independente do perfil do ouvinte, 42,5 milhões de franceses (o que representa 83% da população do país com idade acima dos 13 anos de idade) ouvem rádio por um período médio de 3 horas - diariamente. Na França, ao contrário do que se possa imaginar, a evolução tecnológica dos meios de informação como a Internet ou TV digital, não afetou a importância do papel do rádio como meio de comunicação social.

Jornalista, escritor e produtor, Daniel Mermet é um dos principais nomes do rádio francês.

O que contribui para a fidelização dos ouvintes com relação ao rádio na França é a grande variedade de programas de ótima qualidade que agrada a todo tipo de ouvinte. Existem programas para os que buscam seu estilo preferido de música (com rádios especializadas em jazz, clássico, rock, pop internacional, varieté française, chanson française...), boa informação, entretenimento, cultura, esporte e mesmo debates ou crônicas literarias. As rádios são vistas por aqui, sobretudo como um canal de difusão do conhecimento. Diria até que as rádios ajudam a ritmar a vida cotidiana dos franceses.

O divertido showman Laurent Gerra apresenta suas crônicas na rádio RTL - querido pelo público, ganhou uma estátua no Musée Grévin, o museu de cera de Paris.

Numa pesquisa divulgada hoje pelo grupo Radio France, os mais idosos vêem o rádio como o complemento ideal à TV. São muitos os que, logo após assistirem o noticiário da manhã no bem humorado jornal Télématin, desligam a TV para ouvirem pelo rádio as emissões de debates e exposições de idéias da France Inter, Europe 1 ou France Culture. Segundo revelou essa mesma pesquisa, essa é uma das maneiras que os mais idosos encontraram para se manterem atualizados e não ficarem para trás dos jovens em termos de cultura atual e informação.

As logos padronizadas das estações da Radio France: Cada uma de uma cor diferente segundo a especialidade. A France Musique, por exemplo, é dedicada ao jazz e à musica clássica e tem a logo na cor bordeaux.

O rádio também foi apontado por alguns franceses como um meio de comunicação que aproxima as pessoas, pois não prende a atenção visual dos membros da família como fazem a TV ou a Internet. Assim, quando estão em família são muitos os que preferem o rádio à TV, pois as pessoas podem conversar e realizar atividades em conjunto enquanto ouvem suas emissões preferidas.

Com programação voltada ao público jovem, a NRJ FM promove um dos mais importantes prêmios anuais da música pop na Europa, o NRJ Music Awards. A sigla significa Nouvelle Radio Jeune (Nova Rádio Jovem), mas ao ser pronunciada em francês a sigla NRJ faz um jogo de palavras com 'énergie' (energia). Como diria o Silvio Santos: "Muito bem bolado!"

Outro ponto interessante apresentado pelos entrevistados da enquete foi o fato do rádio trazer às pessoas boas lembranças da infância aos ouvintes. A voz sempre suave e calorosa do locutor Claude Maupomé é lembrada com saudade pelos ouvintes mais antigos da France Musique.

Alguns números sobre a audiência do rádio na França, segundo a enquete da Radio France: 83% dos franceses ouvem o rádio diariamente. Destes, 50% ouvem o rádio fora de casa, sendo que 21,5% o fazem no trabalho enquanto 20,8% no percurso entre suas casas e o trabalho ou escola. O rádio é também a mídia mais consultada via Internet: 70% dos internautas franceses ouvem rádio na web.

As principais audiências: RTL (12,7%), NRJ (10,7%), France Inter (10,6%), Europe 1 (10%), France Info (9,1%).

O rádio também foi apontado pelos franceses como o veículo de comunicação mais confiável, com 58% de preferência. Em segundo lugar vem a mídia impressa com 52%, seguida da televisão com 48% e, por último, a Internet com 34%. Essa hierarquia vem se mantendo estável no país há anos.

Você pode ouvir algumas das principais rádios francesas acessando os podcasts pelos links da seção "Rádios França" do Viver Paris - coluna do lado esquerdo da tela.

Na foto menor o cartaz do programa da rádio RTL2 em homenagem a Serge Gainsbourg: "Para uma homenagem, três minutos de música as vezes valem mais do que um minuto de silêncio." Fonte: Radio France e Jornal La-Croix.

2 comentários:

quilombra dos palmares disse...

"Independente do perfil do ouvinte, 42,5 milhões de franceses (o que representa 83% da população do país com idade acima dos 13 anos de idade) ouvem rádio por um período médio de 3 horas - diariamente..."

Você tem certeza desse dado? pode citar a fonte? hehe desculpa, é que realmente me impressionou. considerando a rotina "metro, boulot, dodo" do parisiense, como eles acham 3 horas por dia pra ouvir radio?

Jack Martins disse...

Bom dia. Repare que as fontes desses dados foram citadas no final da postagem: Radio France e Jornal La-Croix - em reportagem publicada na edição de ontem, caso queira conferir. Assim como também mencionei no artigo que boa parte dos franceses (e não apenas dos parisienses) ouvem o radio no trabalho e no percurso até o trabalho (no 'métro' e no 'boulot', portanto). Não se esqueça ainda de que para calcular a média de ouvintes também são consideradas as cidades do interior do pais, onde os habitantes têm o habito de ficar com o radio ligado o dia todo. Um abraço e bom final de semana.