6 de janeiro de 2009

Galette des Rois

A Galette des Rois (Galette dos Reis) é um bolo famoso em toda a França e, segundo a tradição, deve ser compartilhada em família no dia 6 de janeiro para a celebração da Épiphanie (Dia de Reis).

A Épiphanie comemora a visita dos três reis magos ao menino Jesus, sendo a Galette des Rois a representação dos presentes ofertados a Jesus pelos reis magos (incenso, ouro e mirra). A galette pode ter diversos tamanhos e recheios, sendo um dos mais antigos e famosos produtos de pâtisserie da França.

A tradição de compartilhar a Galette des Rois é acima de tudo um momento de confraternização em família, pois há um divertido ritual a ser seguido, no qual é sorteado o rei da Épiphanie através de uma fava (hoje em dia substituída por um bonequinho) escondida na galette. A pessoa que receber a fatia com a fava se torna o rei do dia, e tem direito de ficar com a coroa dourada de papelão que acompanha a galette. Ao rei do dia cabe a tarefa de providenciar a galette do ano seguinte.

A coroa dourada de papelão sempre acompanha a Galette des Rois.

O ritual é mais ou menos o seguinte: uma galette deve ser cortada em quantidade de pedaços igual ao número de pessoas presentes. Para a distribuição dos pedaços, o mais jovem da familia senta-se debaixo da mesa e vai escolhendo aleatoriamente a ordem das pessoas que vão receber cada fatia - e assim segue a distribuição da galette. A criança (ou jovem) sob a mesa representa Phébé (o deus Apollo), que usa sua inocência para distribuir com justiça os pedaços da galette e escolher o rei de forma imparcial. Algumas famílias costumam cortar uma fatia a mais da galette, a qual é chamada de la part du pauvre (a parte do pobre) ou celle du Bon Dieu (a do Bom Deus) a qual é reservada aos visitantes imprevistos.

Antigamente a galette com a fava escondida não era reservada apenas ao Dia de Reis. Os franceses do século XIII a compartilhavam também para celebrar os casamentos e nascimentos do ano nos pequenos vilarejos. Apesar disso a origem da galette com a fava escondida remonta a Roma Antiga. Os romanos utilizavam a fava para sortear o rei do banquete nas festas de família (a quem eram concedidas algumas regalias domésticas) e na festa em homenagem a Saturno.

Alguns exemplares das figurinhas (até hoje chamadas de 'favas') que ficam escondidas dentro da Galette des Rois - o sortudo que encontrar a fava é literalmente 'o rei do pedaço'.

Em 1870 as favas foram substituídas na França por bonequinhos de porcelana e mais recentemente de plástico. Como a escolha do rei da Épiphanie é uma tradição anual, muitos franceses têm verdadeiras coleções desses bonequinhos, que são guardados como símbolos da boa sorte. O Musée de Blain guarda a mais importante coleção de favas da França, com mais de 10.000 peças - algumas datando do período gallo-romano.

Curiosidade: Na França a expressão trouver la fève au gâteau (achar a fava no bolo) significa ter recebido um lance de sorte.

Portanto, se você estiver hoje em qualquer lugar da França, não deixe passar em alguma pâtisserie e comprar a sua Galette des Rois - se sua família não estiver por perto, confraternizar com os amigos também vale - claro que vale.

Um comentário:

Enayde disse...

a gallete des rois eh uma torta muito deliciosa e sua historia muito interessante.
Porem me deparei com uma situacao muito delicada:
Como seguir a tradicao qdo na familia existirem varias criancas com idades muito proximas sem ferir a sensibilidade das que nao forem presenteadas com a FAVA?
Vai como sugestao no caso de familias franco-brasileiras:ter varios presenteados sem ferir a tradicao e nao quebrar o clima de festa,uma vez que as criancas ficariam todas satisfeitas.Varias FAVAS ,varias COROAS!