17 de outubro de 2008

La Mademoiselle Tour Eiffel

Pode até parecer o mais manjado dos clichês, mas quando estou voltando de viagem, ver a Torre Eiffel mesmo que de longe é o que me dá aquela sensação de 'Ufa! Cheguei em casa!' E o efetivo chegar em casa só se completa quando abro a janela da sala e a vejo, linda e soberana, adornando o céu da minha amada Paris. Há quem a chame de "A Dama de Ferro" - não eu. A Torre Eiffel é carismática. Ela nos emociona. Faz com que a gente sinta vontade de ter os maiores braços do mundo para abraçá-la bem forte. Difícil descrever o que senti quando a vi pela primeira vez - na verdade estou ensaiando há um bom tempo escrever sobre isso, mas não sei... Parece que sempre falta algo ser dito. Sempre vai faltar algo a ser dito. Em 'Por quem os sinos dobram', Hemingway dizia que apenas três vezes na vida o chão treme sob os pés dos apaixonados. Três vezes. Não mais que isso. E a Torre Eiffel fez o chão tremer para mim no momento em que a vi de perto pela primeira vez. Não sei se Hemingway se referia somente às pessoas ou se me permitiria incluir a Torre nesse contexto. Sim. Hemingway também amava Paris. Ele saberia me entender. E desde então sou imprestavelmente apaixonado pela Mademoiselle Tour Eiffel (é assim que eu a chamo) e pela cidade de Paris. Mas chega de divagação e vamos ao que interessa ao leitor do ViverParis!

A Torre Eiffel é, com folga, o monumento mais visitado do mundo: recebe anualmente mais de 6 milhões de visitantes - que efetivamente pagam ingresso e sobem pelo menos até o primeiro estágio. Além disso, a história da Torre está repleta de curiosidades. Por exemplo, você sabia que no ano 2000 a torre cresceu 5 metros? Com a substituição da antena de rádio e TV instalada em seu topo, a Torre Eiffel aumentou de 319 para 324 metros de altura.

Mas para quem sobe a torre não é somente a vista do alto e o magnífico trabalho de engenharia que impressionam - mas também a grande infra-estrutura montada para receber o visitante. Na Torre Eiffel você pode comer muito bem. Além de abrigar os charmosos restaurantes Altitude 95 no primeiro nível e Jules Verne no segundo, a torre conta com 3 cafés (os buffets) para quem quer fazer apenas uma pausa rápida para um lanche. Em julho deste ano foi inaugurado um bar à champagne no segundo estágio e que durante todo o verão ficou aberto diariamente das 17h00 às 22h30 - para quem quer comemorar a visita a Paris com tudo o que tem direito. Existe até um site oficial dos Restaurantes da Torre Eiffel. O site é super completo, com todas as informações práticas de cada restaurante: telefones de reserva, menu, preços, etc.

A Torre tem ainda um cinema que relata a história de sua construção, salas de convenções que podem ser alugadas por empresas e um pequeno museu de cera na parte exterior do último nível que simula o escritório de trabalho de seu criador, o engenheiro francês Gustave Eiffel.

video

A Boutique Officielle da Torre Eiffel conta com uma loja no primeiro e outra no segundo estágio, e também tem um site exclusivo com informações e venda de artigos pela Internet. Particularmente, acho que a Torre Eiffel tem uma das lojas de souvenirs mais completas e caprichadas de Paris - sempre que visito a Torre acabo comprando um caderno novo. Os cadernos da Torre em estilo vintage são bonitos e têm qualidade diferenciada. Tanto o site dos restaurantes quanto o site das boutiques têm algumas informações em português.

Inaugurada em 31 de março de 1889 como atração máxima da Exposição Universal de Paris, a Torre era então a construção mais alta do mundo, com seus 300 metros de altura e uma grande bandeira francesa de 12 metros na ponta. O arranha-céu Chrysler em Nova York, construído em 1929 e 7 metros mais alto que ela, foi o primeiro edifício a superar a Torre Eiffel em altura.

As tarifas para subir na Torre são cobradas de acordo ao número de estágios que você quer visitar. Mas se por acaso você comprar ingresso para subir até o segundo piso, mas lá em cima se arrepender e quiser visitar o topo, não tem problema - para esses casos, existe outra bilheteria estrategicamente instalada no segundo estágio da Torre. A tabela de preços pode ser consultada no site oficial da Torre, assim como a tabela com os horários de funcionamento, que mudam de acordo com a época do ano. O mal tempo e a força do vento também podem influenciar na abertura da Torre à visitação. Assim, se o tempo não estiver colaborando, alguns estágios podem ser temporariamente fechados sem aviso prévio.

video

Quem estiver com o fôlego em dia e pouco dinheiro no bolso, pode subir de escada até o segundo estágio - 115 metros de subida - pagando uma tarifa menor. Para acessar o topo da torre, o visitante deve trocar de elevador no segundo piso. Quer algumas curiosidades sobre os elevadores da Torre Eiffel? Cada elevador percorre por ano o equivalente a 5000km; cabem aproximadamente 100 pessoas por vez em cada elevador; 22 toneladas é o peso médio de cada elevador em plena carga; 2m/seg é a velocidade de deslocamento dos elevadores da Torre.

Se você pensa em subir na Torre Eiffel apenas uma vez durante sua estada em Paris, mas ainda não decidiu se é melhor ir durante o dia ou a noite, recomendo que vá no final da tarde. Dessa forma você consegue aproveitar a vista com o dia ainda claro, vê o pôr do sol e a cidade se iluminando ao anoitecer. Pode parecer mentira, mas tem tanta coisa para ver e fazer lá em cima que a gente acaba esquecendo do tempo e quando percebe já se passaram horas. Outro detalhe curioso que dá idéia das proporções monumentais da Torre: o terceiro estágio (isso mesmo, lá no alto) tem capacidade para acomodar até 800 pessoas.

Para saber mais, visite o site oficial da Torre Eiffel. Ali você encontra muita informação útil e interessante. Além de vídeos, fundos de tela, postais virtuais, atividades para crianças, dados técnicos sobre a construção e muito mais.

Acesse: http://www.toureiffel.fr/

Nos videos, imagens da contagem regressiva e dos primeiros 30 segundos da queima de fogos do Reveillon do ano 2000.

Nenhum comentário: