22 de outubro de 2008

Le Petit Nicolas

Le Petit Nicolas é um personagem da literatura infanto-juvenil criado em 1959 por René Goscinny e ilustrado por Jean-Jacques Sempé. Suas historias retratam a visão do mundo através dos olhos de garotinho inocente e encrenqueiro (Nicolas), que nunca entende a reação dos adultos. Ele gosta muito de fazer travessuras e quando seus pais ralham com ele, o pequeno Nicolas não consegue entender o sentido da bronca - já que para ele fazer travessuras é algo tão natural quanto respirar - e desata a protestar e a chorar.

As aventuras do Petit Nicolas foram lançadas em uma série de historinhas humorísticas ilustradas publicadas em 1959 no jornal Soud Ouest Dimanche (onde os traços do personagem evoluíram e ele tomou a forma como o conhecemos hoje). Suas historias acontecem normalmente na escola e além do pai, da mãe e da avó (que sempre sai em sua defesa), a professora, o servente, o diretor e - principalmente - os amigos de classe (les compagnons) de Nicolas fazem parte de seu universo. A linguagem e o ponto de vista inocente de Nicolas nos traduzem de forma simples uma reflexão sociológica do complexo mundo dos adultos.

Sempre é o próprio Nicolas quem narra as historias. Conseguimos reconhecê-lo facilmente nas ilustrações que retratam a bagunça generalizada na sala de aula por um detalhe simples: ele é o garotinho de cabelos pretos. E apesar de sabermos que ele tem entre 6 e 10 anos, os autores jamais revelam sua idade exata. A frase mais cult de Nicolas é: “C’est drôlement chouette!” ou “C’est chouette!” - que usa constantemente para dizer que acha algo muito legal.

Nicolas gosta de: receber a visita da avó (ela sempre trás alguma coisa que ele gosta: bolo, bala, um brinquedinho, um pouquinho de frango com molho branco que sobrou do almoço, chocolate...); jogar damas (ele é imbatível no jogo de damas); fazer graça para a coleguinha Marie-Edwige (com quem ele diz que vai se casar quando crescer); rir; contar piadas para os pais (mas fica com vergonha quando o pai já conhece a piada); quando os pais recebem amigos em casa; ler gibi; ver filmes de cowboy no cinema; bagunçar no recreio; voltar sujo para casa depois de brincar com os amigos no terreno baldio; animais; ganhar dinheiro para comprar presentes para sua mãe. “Mas o que eu mais gosto, depois da mamãe e do papai é claro, é de futebol!”

Mas ele não gosta nem um pouco de: fazer lição de casa (ele vive pedindo ajuda para as tarefas); quando a mãe coloca nele a roupa azul-marinho com camisa branca e gravatinha (ele sempre diz que fica parecendo um ‘guignol’ - fantoche); ficar de castigo; arrumar o quarto; brincar sozinho; quando os amigos de escola tiram sarro dizendo que ele esta apaixonado.

Em março de 2009 o personagem fará 50 anos. Para comemorar a grande data, será lançado um filme longa-metragem (pela primeira vez o Petit Nicolas será visto em carne e osso) e um desenho animado.

Os livrinhos do Petit Nicolas têm um bonito acabamento e são encontrados facilmente em qualquer livraria do país ao preço médio de 5,50€. As crianças adoram - os adultos também (eu inclusive: Le Petit Nicolas c'est drôlement chouette!).

actualiteslivres_120x60

4 comentários:

Edmilson Siqueira disse...

Du: Goscinny foi genial. Nasceu no mesmo dia que eu - 25 anos antes - (pra você ver que horóscopo não tem nada a ver mesmo...)e ainda criou, junto com Albert Uderzo, meu HQ preferido, o Asterix.
Fora o Lucky-Lucky com Jean Tabary. O Petit Nicolas acho que não veio para o Brasil, ou veio e eu não fiquei sabendo já que não leio histórias em quadrinhos há tempos. Mas, pelo que você diz, deve ser genial também.
Abs.
Ed.

Jack Martins disse...

Exatamente Ed, 'genial' define bem o Petit Nicolas. O engraçado é que a cada vez que comento com meus amigos franceses que estou lendo o Petit Nicolas ouço sempre em resposta: "Mais c'est génial!" E foram bem lembrados os nomes de Asterix e Lucky Lucke - esse ultimo também vai virar filme. As filmagens começaram em agosto na Argentina. Para o papel do cowboy, Jean Dujardin - da série 'Un gars, une fille' sobre a qual ja falei aqui no blog. Abraço.

jamalak disse...

Também, "Le petit Nicolas" se usa muito hoje para falar do presidente brincando com a altura dele.

Jack Martins disse...

Verdade, Jamalak. Não são raras as situações nas quais a imprensa francesa compara os feitos do "Grand Charles" (de Gaulle) aos do "Petit Nicolas" (Sarkozy)